A Coreia é mais do que a Samsung

[dropcap]F[/dropcap]inalizei a agenda do segundo dia na Coreia do Sul. Depois de um gostoso café da manhã gentilmente oferecido pela Igreja Shinil, saímos para um retiro de oração e jejum, muito bem conduzidos pelo Rev. Breno Prudente Júnior.

Visitamos um estrutura edificada com esta finalidade, situada em uma área rural, a pouco mais de uma hora da capital, com amplo estacionamento, alojamentos para quem deseja passar mais de um dia buscando ao Senhor, refeitório, banheiros, um templo principal com capacidade para cerca de duas mil pessoas sentadas, uma capela menor e os “quartos” de oração — cubículos de dimensões que não permitem que uma pessoa fique de pé, muito menos deitada. É necessário ajoelhar-se para estar ali. O piso é de borracha com aparência de madeira. Nas paredes apenas uma cruz vazia, uma tomada para carregamento de dispositivos, uma lâmpada e um interruptor, além de um suporte para Bíblias e hinários.

Tudo é muito limpo e organizado e a recepção é calorosa e amigável. Assim que sentei, fui cumprimentado pelo irmão Amstabaek, um cristão paquistanês que fala pouco o inglês. Na hora do aperto fomos ajudados pelo recurso de tradução do seu Samsung Galaxy (eu falava em inglês e seu dispositivo traduzia para o coreano). Tiramos fotos, cantamos juntos Mais Perto Quero Estar e trocamos e-mails e telefones. Muito simpático.

Após o culto fomos a um bosque e conhecemos o Pastor Jung In Chan, de proveniência batista e hoje auxiliar da Igreja do Evangelho Pleno. A partir do texto de Joel 2.12-13, ele nos falou da importância da oração e jejum para aquela igreja — que conta hoje com cerca de 700 mil membros — e toda a igreja evangélica da Coreia do Sul.

Pastores Leonardo, Jung In Chan, Misael e Adair

Pastores Leonardo, Jung In Chan, Misael e Adair

A Igreja do Evangelho Pleno, disse ele, começou como uma tenda em um bairro de Seul e desenvolveu-se sob a égide da oração e jejum. Nesta igreja, os pastores jejum e oram regularmente. Toda evangelização é precedida por um dia de jejum e oração. Visitas a famílias são feitas após jejum e oração. Todos os membros da igreja já jejuaram três dias (os coreanos cristãos, de modo geral, jejuam um período de três dias consecutivos a cada mês). Antes de evangelizar alguém, eles jejuam de sete a 21 dias. Os primeiros três dias do ano são dedicados a jejum e oração. Eles jejuam também quando passam por situações aflitivas e estabelecem períodos de jejum de acordo com a fé.

Na Coreia, a oração normalmente inclui jejum. Há muito fervor e clamor na oração. Muitos crentes reportam uma experiência muito especial com o texto de Isaías 58.8, após se consagrarem ao jejum e oração.

Em 1984, a Igreja do Evangelho Pleno fundou o retiro de jejum e oração que visitamos hoje — uma estrutura com capacidade de hospedagem de 4500 pessoas. No culto do qual participamos, estiveram presentes cerca de 1700 pessoas. O culto é longo e a liturgia é simples: muita música (a maioria hinos tradicionais conhecidos, tocados e cantados com fervor intenso), rápidas orações e uma pregação longa, de pouco mais de duas horas de duração. As pessoas ouvem com muita atenção, interagindo com o pregador com “améns”, “aleluias” e aplausos.

Um milhão de pessoas visita o local a cada ano, todas com o propósito único de orar e jejuar. São cerca de 20 a 30 mil pessoas por semana. Na busca, elas se encontram de modo especial com o Deus vivo. Suplicam pela Presidente da República, pela reunificação das duas Coreias, por enchimento com o Espírito Santo, por curas para suas enfermidades e resolução de problemas diversos (materiais, de saúde etc.). Muitas recebem bênçãos e voltam para suas igrejas como evangelistas. O resultado disso é o crescimento das denominações cristãs da Coreia do Sul (hoje os evangélicos são 25% da população e 80% destes são presbiterianos).

Perguntado sobre qual o “método” para o crescimento da igreja, o Pr. Jung In Chan respondeu: “oração e jejum”. Suas palavras a cada pastor e líder brasileiro foram incisivas: “Se você começar uma vida de jejum e oração, no lugar onde você está, todo poder das trevas será destruído”.

Em breve escreverei sobre o que aconteceu no primeiro dia de minha visita à Coreia. Por ora, não podia de registrar o quanto eu fui impactado neste contato com a igreja viva e simples da Coreia do Sul, irmãos e irmãs que amam ao Senhor e se dedicam de coração e sistematicamente ao jejum e oração.

4
  Ver também

Comentários

  1. Ricardo Santana  setembro 21, 2013

    Graça e paz Rev. Misael,

    Mais uma vez, agradeço a Deus por dar-lhe esta grande oportunidade: uma viagem à Coreia.
    De fato, seu post é impactante e deixa-me corado de vergonha. Estes dias estudamos na ED sobre o Espírito Santo e nossas orações; fiz uma indagação de como, possivelmente, não percebemos profundamente as bênçãos relacionadas à oração. Que por conta disto, muitas vezes, deixamos de compartilhar da bondosa graça de Deus por estarmos tão “indisponíveis” à oração e jejum.
    É uma tema realmente desafiador, levando em conta o mundo em que vivemos…

    Creio que o senhor trará bons frutos dessa viagem!

    Que o SENHOR continue derramando das Suas ricas bênçãos sobre sua vida e sua família.

    Com sinceras saudades!

    Ricardo Santana

    responder
    • Misael  setembro 22, 2013

      Oi Ricardo;
      Sim, já estou sendo muito desafiado a uma vida de mais santificação e dependência de Deus. Eu também me sinto envergonhado diante da simplicidade e fé fervorosa destes irmãos.
      Um grande abraço.

      responder
  2. WASHINGTON  setembro 21, 2013

    Olá Misael,

    Fiquei impactado pela vida de oração e jejum dos irmãos coreanos.

    Como era realizado os três dias consecutivos de oração e jejum? Era total ou parcial?

    No amor de Cristo,

    Washington

    responder
    • Misael  setembro 22, 2013

      Oi Washington;
      O jejum é total nos primeiros três dias; a partir do quarto dia eles tomam somente água. Alguns jejuam até 21 dias (eles dedicam suas férias para isso!) Por isso o retiro de oração possui refeitório que serve uma papinha de arroz para aqueles que estão retornando de um jejum prolongado.

      responder

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: