A Coreia [e mais do que a Samsung

A Coreia é mais do que a Samsung:
A parábola do semeador (conclusão)

Nesta segunda interação com os pastores brasileiros, o Dr. Yoo iniciou revisando os prontos principais da palestra anterior, qual sejam: Na parábola do semeador, Jesus fala sobre tipos diferentes de entendimento da Palavra. Os três primeiros tipos de entendimento não produzem bom fruto. Naqueles que produzem bom fruto, ocorre o ouvir e o compreender correta ou propriamente. Em Marcos, a compreensão produz recepção — não qualquer recepção, mas o acolhimento da Palavra como algo “legal” ou “ilegal”. Isso significa que deixar de receber a Palavra de Deus é ilegal, ou seja, o mau ouvinte se torna réu de punição ou juízo divino. Quando a pessoa entende isso e acolhe a Palavra, esta produz frutos.

Pastores San Sob Yoo e Breno Prudente Júnior

Pastores San Sob Yoo e Breno Prudente Júnior

Sobre o que devemos orar em primeiro lugar? Para que entendamos a Palavra de Deus quando a ouvirmos. Qual é um dos maiores problemas das crianças? Como um bebê recém-nascido não tem discernimento, tudo o que ela vê, pega e quer comer (até mesmo as fezes!). Os pais devem monitorar a criança o tempo todo e dizer “não toque nisso; não coma isso!”.

Quantos crentes atualmente recebem coisas que não deviam receber! Por isso a tarefa fundamental dos pastores é orar para que os crentes recebam adequadamente a Palavra de Deus. Lutero disse que a Palavra de Deus deve funcionar como um martelo. É preciso bater na cabeça com um martelo, até que ela se quebre e entenda a Palavra de Deus.

É importante que nosso modo de pensar e nossos discernimentos sejam quebrados pela Palavra de Deus. Então, após compreendê-la, temos de orar para que ela faça raiz em nosso coração. Em primeiro lugar, peçamos que Deus mude nossos pressupostos; em segundo lugar, que ele mude nosso coração. Em terceiro lugar, conforme a parábola do semeador em Lucas, temos de orar para que Deus mude nossas mãos e pés: “oh Deus, mude minha mente, minha filosofia, meus pressupostos, pela tua Palavra. Oh Deus, mude meu coração! Oh Deus, mude minhas atitudes!” Este é o foco da parábola do semeador. Quando conseguimos isso mediante a Palavra, todo nosso ser é transformado, nós nos tornamos mais parecidos com Jesus e as ovelhas do rebanho sob nossos cuidados também.

Olhemos para Lucas 8.11-15:

[11] Este é o sentido da parábola: a semente é a palavra de Deus. [12] A que caiu à beira do caminho são os que a ouviram; vem, a seguir, o diabo e arrebata-lhes do coração a palavra, para não suceder que, crendo, sejam salvos. [13] A que caiu sobre a pedra são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria; estes não têm raiz, creem apenas por algum tempo e, na hora da provação, se desviam. [14] A que caiu entre espinhos são os que ouviram e, no decorrer dos dias, foram sufocados com os cuidados, riquezas e deleites da vida; os seus frutos não chegam a amadurecer. [15] A que caiu na boa terra são os que, tendo ouvido de bom e reto coração, retêm a palavra; estes frutificam com perseverança.

Muitos se impressionam com o tamanho das igrejas coreanas, mas é importante entender que a vida da igreja coreana não está nos grande prédios, e sim, na vida de oração.

O 8º capítulo de Lucas é um capítulo de guerra — o reino de Deus está em guerra contra o reino das trevas. As pessoas mencionadas no início do capítulo (v. 1-3) haviam sido libertas do poder de Satanás. Antes da chegada do reino de Deus, o reino das trevas operava livremente. Somente neste capítulo, há quatro eventos sobrenaturais registrados. Jesus acalma uma tempestade (v. 22-25) e liberta o endemoninhado geraseno (v. 26-34). Nos últimos trechos do capítulo (v. 40-56), Jesus cura duas pessoas de doenças de morte.

Pense sobre estes eventos citados. O trabalho do reino das trevas é trazer a morte para a existência humana. Por que, em primeiro lugar, o milagre de acalmar uma tempestade? Aos olhos de Satanás, Jesus era um problema sério. Até aqui, nenhuma pessoa, país ou cultura havia conseguido vencer o reino de Satanás. A partir de Jesus, começou a destruição deste reino. A partir de seu jejum no deserto, Jesus começou a destruir o reino das trevas. Em todo lugar em Jesus passava, o reino das trevas era destruído e o reino de Deus começava a ser implantado.

Imagine a ideia que Satanás tinha de Jesus: “se eu pudesse só te matar, Jesus eu garantiria a continuidade de meu reino!”. Por isso, aqueles que não tem Jesus em suas vidas, não conseguem livrar-se do reino das trevas.

Ao tentar atravessar para a outra margem, ocorreu uma tempestade natural; mas é claro que, se Jesus não conseguisse atravessar aquele mar (caso ele morresse) o movimento da construção do reino de Deus seria estancado! Se Jesus e seus discípulos morressem naquele barco, o reino de Satanás permaneceria intacto! Hoje acontece o mesmo conosco e com nossas igrejas. Se estivermos trabalhando para construir o reino de Deus, estaremos operando para destruir o reino de Satanás, e ele nos combaterá por isso.

Com uma palavra simples Jesus acalmou a tempestade: “Chegando- se a ele, despertaram- no dizendo: Mestre, Mestre, estamos perecendo! Despertando- se Jesus, repreendeu o vento e a fúria da água. Tudo cessou, e veio a bonança” (v. 24). Assim como ele repreendia espíritos demoníacos, com uma breve palavra ele acalmou o mar.

Notemos o v. 27: “Logo ao desembarcar, veio da cidade ao seu encontro um homem possesso de demônios que, havia muito, não se vestia, nem habitava em casa alguma, porém vivia nos sepulcros”. Aquele geraseno era uma pessoa do interior ou da cidade? Ele era da cidade, mas, ao ser possesso dos demônios, ele afastou-se de todo convívio social. No v. 30, lemos a palavra “legião”, que nos leva a pensar em 6000 soldados demoníacos. Se a possessão por um só espírito deixa um homem miserável, imaginemos a situação daquele homem! Após ser possuído ele passou a habitar cemitérios. As sepulturas passaram a ser a casa dele. Quando lhe perguntavam “onde é sua casa?”, ele respondia “eu moro nas sepulturas”. Quem mora em sepulturas? Gente morta. Mas, o que significa uma pessoa viva morar em sepulturas? Que, para ela, tanto fazia estar vivo quanto morto.

Essa figura ilustra a condição do ser humano. Apesar de fisicamente vivo, está espiritualmente morto. O que ocasionou aquilo? O reino de Satanás. Quem queria matar Jesus durante a tempestade? O movimento de ação do reino de Satanás é sempre na direção da morte. Através do pecado Satanás traz dor, sofrimento e morte. Quem salvou aquele endemoninhado? Não foram seus pais, nem amigos, nem o governo. Nada nem ninguém pode salvar alguém tomado pelo reino de Satanás — só Jesus. Jesus disse a ele uma só palavrinha e ele foi liberto (v. 29). Jesus ordenou e o poder das trevas saiu. Semelhantemente, ele deu uma ordem simples à tempestade e ela parou.

Vejamos o v. 43. Ele fala de “certa mulher que, havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia, e a quem ninguém tinha podido curar [e que gastara com os médicos todos os seus haveres]”. Aquela mulher estava doente haviam 12 anos. Ela caminhava para a morte. O sangue significa vida; o sangue saía de seu corpo sem parar; a força da vida diminuía pouco a pouco. Isso significa que, passo a passo, ela caminhava para a morte. Ele era muito rica e, aproveitando sua condição, consultou muitos médicos sem sucesso. Quem, nesse mundo, poderia salvar uma mulher que caminhava para a morte? Ninguém podia.

No ano em que ela começou a ter aquela hemorragia, nasceu outra mulher — a filha de Jairo, citada no v. 41. Então temos uma mulher caminhando paulatinamente para a morte; e quando isso iniciou nela, nasceu a filha de Jairo que, naquela ocasião relatada por Lucas, dirigia-se também para a morte. A família preparava o funeral da menina.

Os quatro milagres deste capítulo mostram a morte. Satanás quis matar pessoas saudáveis (Jesus e seus discípulos); uma pessoa urbana foi parar em um cemitério; uma mulher hemorrágica caminhava para a morte; uma criança morrera. Essa ideia ou figura de morte explica o movimento do reino de Satanás. E a morte não alcançou apenas pessoas, mas alcançou os animais — 2000 porcos morreram! O porco é um animal robusto, pouco suscetível a doenças e nada bem. Quem matou aqueles porcos saudáveis? Os demônios.

Qual é o único método que pode superar esta situação de morte entre nós? A única coisa que pode superar isso é o movimento do reino de Deus iniciado por Jesus. O reino de Satanás está sendo destruído enquanto o reino de Deus está sendo edificado.

A fúria do mar foi contida por Jesus. Muitos demônios foram expulsos de uma pessoa. Uma mulher foi curada de uma doença de morte. Como uma só palavra, uma menina voltou à vida. Quando Jesus pronuncia sua Palavra, o reino de Satanás é destruído. Onde ele jogava a semente do reino de Deus, o reino de Satanás era destruído! Leiamos o v. 11: “Este é o sentido da parábola: a semente é a palavra de Deus”. Ao lidar com todas estas situações, Jesus semeou a Palavra de Deus. O reino de Satanás é destruído pela Palavra de Deus. E como reino de Deus é edificado? Como o reino alcança uma pessoa problemática ou doente? Como ele se implanta no coração de um homem ou mulher? Pela Palavra de Deus. É esta guerra espiritual que está escondida no pano de fundo desta parábola do semeador.

A parábola do semeador fala da guerra espiritual, em como nesta guerra o reino de Satanás é destruído pela Palavra de Deus. Satanás tem de roubar a Palavra de Deus. Para ele é uma questão de vida ou morte tirar a Palavra de Deus das pessoas — se o reino de Deus progredir, o reino de Satanás será destruído!

Eis um resumo do conteúdo de Lucas. Qual é o relatório que Satanás recebe diariamente dos demônios? Ele é informado de que seu reino está sendo destruído em todos os lugares. Veio alguém que semeou o reino de Deus e o reino de Deus está crescendo.

Após receber este relatório, Satanás convocou uma reunião de seus demônios. Todos compareceram. Tinha um demônio sentado sozinho, e tinham sete demônios sentados juntos, e entrou ainda uma turba de 6000 demônios.

—Meu reino está sendo derrotado! Por que estamos sendo derrotados? Qual foi o primeiro besta entre vocês que foi expulso?

Um demônio, amedrontado, ficou de pé.

— Seu imbecil, onde você estava e o que aconteceu? Perguntou Satanás.

— Eu estava trabalhando em uma sinagoga de Cafarnaum.

— O que fez você correr de lá?

— Eu estava trabalhando firme ali, mas Jesus entrou e fez uma pregação e as pessoas olharam para ele e disseram “amém”, “amém” e foram todas pro lado dele. E aí eu até respirei baixinho, pensando que Jesus não estava me vendo. E eu pensei que ele terminaria logo o sermão e sairia, mas, de repente, ele virou-se pra mim e disse: “sai você!” Sr. Satanás, por favor, me perdoe, mas eu fui o primeiro a ser expulso. Eu fui derrotado pela Palavra. Eu perdi pra Palavra de Jesus!

Depois disso, Satanás viu os sete demônios sentados juntos.

— E vocês, seus inúteis, o chefe entre vocês se levante e me diga o que aconteceu!

O representante levantou-se tremendo dos pés à cabeça.

— Onde vocês estavam quando foram expulsos?

— Nós trabalhávamos na vida de Maria Madalena.

— E o que aconteceu lá?

—Nós estávamos levando-a para a morte, mas Jesus passou por lá, deu uma Palavra àquela mulher, ela foi curada e nós a perdemos!

— Seus incompetentes! Vocês não percebem que esta mulher agora está trabalhando por Jesus e contribuindo para o derrocada de nosso reino?

Então Satanás dirigiu-se à legião de 6000 demônios.

— Levante-se o representante!

E este se levantou.

— Como vocês foram derrotados sendo uma legião inteira?

O líder respondeu que a estratégia dele, depois de ser forçado a sair do homem, era entrar em porcos. Se eles não entrassem nos porcos, eles perderiam tudo. Unindo-se aos porcos eles garantiriam a vila, uma vez que os nativos não acolheram Jesus por causa da morte dos porcos.

Satanás se pronunciou:

— Parece que, sendo um demônio individual ou um grupo de sete ou 6000, todos foram derrotados por uma coisa só. Todos foram suplantados tão-somente pela Palavra de Jesus. Sendo assim, o que nós temos de fazer para que nosso reino não seja destruído?

A resposta foi uníssona.

— Como a gente está perdendo por causa da Palavra de Deus, tiremos a Palavra de Deus das pessoas. Assim a gente vai vencer!

Ali foi estabelecida a estratégia: Satanás vai roubar a Palavra das pessoas. Lucas fala de pessoas que acolheram a Palavra, mas, em seguida, esta lhes foi tirada (v. 12). Satanás quer tirar a Palavra de Deus da igreja.

Os discípulos também se reuniram com Jesus. Estavam Jesus, os Doze, os Setenta e outras mulheres. Jesus, sorridente, perguntou:

— Os dois reinos estão guerreando; quem está vencendo?

Todos responderam:

— O reino de Deus está vencendo.

— Por que o reino de Deus está vencendo? Perguntou Jesus. Qual a arma usada para a derrota de Satanás?

Pedro respondeu: “Por causa da Palavra de vida do Senhor, o reino está vencendo”. Como Pedro falou, todos falam concordando.

Jesus perguntou ainda:

— Amados discípulos, temos trabalhado apenas com uma arma. O que você acham de termos vários tipos de armas? Se a Palavra de Deus não estiver funcionando, o que você acham de incluirmos outras armas?

Os discípulos responderam: “Basta sua Palavra”.

Vejamos o v. 15: “A que caiu na boa terra são os que, tendo ouvido de bom e reto coração, retêm a palavra; estes frutificam com perseverança”. A expressão boa terra tem ligação com um coração bom e reto. Que tipo de coração é esse? Como o seu coração tem de ser, para ser bom e reto? Uma resposta para isso pode ser encontrada em Gênesis 1; Deus “falou” e tudo se fez. Ao final de cada etapa da criação, Deus disse “isso é bom”. O coração bom é reto é o que foi transformado pela Palavra de Deus. A boa e reta Palavra de Deus fez daquele coração um bom e reto coração. Em todas as situações, quando há alinhamento com a Palavra de Deus, produz-se um coração bom e reto.

Na parábola do semeador em Mateus, aprendemos sobre a necessidade de compreender a Palavra de Deus. A parábola em Marcos denota oração para que a Palavra compreendida chegue ao coração. Depois disso a Palavra tem de produzir obediência — perseverança na Palavra de Deus. Mas “reter” a Palavra de Deus, em Lucas 8.15, é mais forte do que simplesmente “obedecer”. É tomar a Palavra de Deus apertando-a forte. Por que tem de ser assim? Porque há um inimigo insidioso que deseja tomá-la de você. O crente espalha e, ao mesmo tempo, “retêm” a Palavra. Os demônios querem tirar a Palavra; os discípulos de Jesus não querem perder a Palavra.

Isso é o pastorado segundo o NT. Isso não diz respeito apenas ao que aconteceu no 1º século, mas será assim até Jesus voltar. Em qualquer contexto, Satanás fará tudo para roubar a Palavra de Deus. Em todos os casos, temos de lutar para que as pessoas não larguem da Palavra de Deus. Os crentes precisam compreender a Palavra de Deus na alma; tem de recebê-la e orar com base nela. Tem de segurá-la.

Por isso, onde há intenção de guardar a Palavra de Deus, surge o movimento de oração. Por isso o movimento do reino de Deus é um movimento de oração, um movimento do Espírito Santo de Deus. O problema é que, aos poucos, a igreja se afasta da Palavra de Deus e da oração e se aproxima do mundo. Dia e noite Satanás está trabalhando para nos roubar a Palavra de Deus. Por detrás de todas as coisas do mundo está a movimentação de Satanás.

Quem não desiste da Palavra de Deus? Quem se agarra a ela e vive por ela? Nós, os pastores, devemos ser os primeiros. Vamos orar sobre isso agora.

, , , , , , ,

Nenhum comentário até agora.

Deixe uma resposta