O que é liderança cristã

O que é liderança cristã?

A Bíblia não nos fornece um conceito de liderança. A literatura atual sobre liderança revela duas vertentes. Uma delas afirma que “uma definição explícita [de liderança] não é necessária”.[1] Outra reúne dezenas de autores, cada um sugerindo seu próprio significado. Um autor respeitado sugere, por exemplo, que liderança é o “processo pelo qual um indivíduo influencia um grupo de indivíduos a atingirem um objetivo comum”.[2]. ...

Ler mais →
Sex shop

Sobre um cristão montar uma sex shop

Este texto nasceu em um grupo de estudos bíblicos no WhatsApp. Alguém perguntou se seria lícito a um cristão abrir uma sex shop. Ademais, foi questionado se seria pecado um casal cristão “apimentar” a vida sexual com produtos eróticos. Lendo as postagens eu fui também informado de que existem sex shop evangélicas. Daí resolvi escrever um pouco e, ao fim da publicação, alguns irmãos me pediram para compartilhar o texto em meu blog.

O casal de Cântico dos Cânticos

O problema ...

Ler mais →
O homem mau

A luta contra os homens maus

O cristianismo vigoroso da Bíblia, da luta espiritual, tem sido substituído por uma versão afeminada de cristianismo, o cristianismo pacifista que, no fim das contas, não é cristianismo porque não é cristão.

Este falso cristianismo continua, a seu modo, pregando contra o mal, enquanto considera falta de amor e anticristão combater o homem mau. Anuncia a paz como suprema, ao passo que só a glória de Deus é suprema, e esta, em determinados “tempos”, exige guerra (Gn 3.15; Ec 3.8; ...

Ler mais →
Jesus, amizade e natureza

Jesus, amizade e natureza

Jesus Cristo nos fornece o maior exemplo de valorização dos seres humanos e da natureza. Apesar de negar o pecado e reafirmar a eternidade das coisas espirituais, ele disse “sim” às pessoas e ao mundo criado por Deus. Ele cultivou amizades e encontrou as marcas da providência de Deus nas coisas belas.

Os Evangelhos citam seu relacionamento especial com Pedro, Tiago e João. Ele estabeleceu contatos profundos e abriu-se para compartilhar seus momentos de glória (transfiguração) e de tristeza (o ...

Ler mais →
Jesus nas bodas de Caná, por Veronese

A santidade de Cristo

Deus é santo e sua santidade é o padrão para os cristãos: “Segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo” (1Pe 1.15-16; cf. Is 6.3).

A maior manifestação da perfeição divina é encontrada em Cristo (Jo 1.1, 14). Ele é o “homem perfeito”, aquele que foi tentado, mas permaneceu “sem pecado”; o exemplo que devemos imitar para que agrademos ao Pai (Hb ...

Ler mais →
O que é um santo

O que é um santo

O que é um santo? Esta pergunta pode ser respondida de várias maneiras, dependendo da base religiosa de quem responde. Uns entendem que santo é aquele que ultrapassa os limites da humanidade, alcançando um nível de relacionamento com Deus mais profundo do que os crentes comuns. Tais pessoas recebem uma “graça especial” e se tornam até milagreiros (em certos casos). Por isso são “canonizados” e tornados objetos de veneração. Perfeitos. Ideais. Distantes dos padrões humanos comuns. Mediadores e dignos de ...

Ler mais →
Espiritualidade realista

Uma espiritualidade realista

A espiritualidade autêntica repousa na graça de Deus. Não temos como negar a nossa humanidade. Analisando a Escritura, observamos os homens vivendo como homens. Santos nada mais são do que homens “separados” por Deus. Continuam pertencentes à raça de Adão, com todas as suas fraquezas, limitações e angústias. Crentes são de carne e osso. Sentem fome e sede. Sonham e se entristecem, alegram-se e choram.

“Graça” é o favor imerecido que concentra o que somos e fazemos — coisas boas e ...

Ler mais →
Partir ou ficar

A pedra e o limo

Ir embora ou ficar? Bater asas ou criar raízes? Certamente, tudo depende da providência de Deus. No entanto, é sábio ouvir os sábios. Nesse sentido, fui agraciado com a leitura da crítica que, em Hereges, G.K. Chesterton faz ao poeta e escritor Joseph Rudyard Kipling (1865 – 1936).

Para Chesterton, “a grande lacuna” no intelecto de Kipling é sua “falta de patriotismo”, ou seja, a ausência da “faculdade de aderir, trágica ou derradeiramente, a alguma causa ou comunidade”. Kipling “é ...

Ler mais →
Obediência

Eu devo obedecer a meu pastor?

O que entristece o coração é quando orientamos segundo a Bíblia, e o “dito crente” simplesmente ignora a instrução, ou pior, desobedece descaradamente e ainda adiciona à desobediência uma pitada de sarcasmo: “Eu não me submeto e saiba que o Sr. pode fazer o que quiser, pois eu continuo em plena comunhão com o ‘meu Deus’”.

E há os casos em que o indivíduo vem até você e diz que “o Sr. tem sido usado para transmitir a Palavra de Deus ...

Ler mais →
O fácil e o certo

O fácil e o certo

Nem sempre, porém, o certo é o mais fácil. No que diz respeito às coisas espirituais, parece que o padrão é o oposto: Fazer o certo é difícil, errar é muito fácil.

Não é difícil pecar. Enquanto a prática da virtude assemelha-se a uma escalada íngreme, pecar é como escorregar em um tobogã, dá um friozinho na barriga no início, mas depois a gente desce às gargalhadas. O problema é que, no final das contas, caímos em terrível lamaçal. É mais ...

Ler mais →
O que é importante saber

O que é mais importante saber

[dropcap]O[/dropcap] que é mais importante saber? Aonde vamos ou com quem vamos? É claro que a questão do destino — saber pra onde se caminha — é importante. Muitos já fizeram uma viagem ou visita e entendem a importância de um endereço. A gente se sente mais seguro sabendo para onde vai.

Isso tem valor administrativo; ter um plano, traçar metas, caminhar à luz de um futuro previsível. E também, no âmbito espiritual, prosseguir para um “alvo” ou “prêmio” (Fp 3.14). Diante ...

Ler mais →
A Coreia [e mais do que a Samsung

A Coreia é mais do que a Samsung:
A parábola do semeador (conclusão)

[dropcap]N[/dropcap]esta segunda interação com os pastores brasileiros, o Dr. Yoo iniciou revisando os prontos principais da palestra anterior, qual sejam: Na parábola do semeador, Jesus fala sobre tipos diferentes de entendimento da Palavra. Os três primeiros tipos de entendimento não produzem bom fruto. Naqueles que produzem bom fruto, ocorre o ouvir e o compreender correta ou propriamente. Em Marcos, a compreensão produz recepção — não qualquer recepção, mas o acolhimento da Palavra como algo “legal” ou “ilegal”. Isso significa que ... Ler mais →
Página 1 de 3 123