Liderança pastoral 2018

A subestimação e a superestimação do pastor

Escrevi isso na manhã do dia 10/11/2016. Parece útil para o momento. Há dois erros comuns em nosso modo de enxergar o trabalho de um pastor efetivo ou titular (que os norte-americanos intitulam senior pastor), mas o que direi se aplica também, guardadas as devidas proporções, aos pastores auxiliares. O primeiro erro é subestimar o ministério; o segundo é superestimá-lo.

Pensemos na subestimação.

Deus mesmo estabelece o ministério para honra dele e para encaminhamento de seu decreto providencial. Deus tem coisas ...

Ler mais →
Liderança Visionária

A falácia da liderança visionária [atualizado]

O líder cristão é um visionário — um criador e articulador de visão. Ele é capacitado para formatar e comunicar uma visão com clareza. Ele sabe como motivar os crentes a assumir uma visão rumo a um alvo bíblico e desejável.

Esse é um paradigma difundido na literatura e em congressos cristãos. No contexto episcopal isso é acolhido quase que sem questionamento. O problema é abraçar e tentar implementar essa ideia no contexto de uma liderança bíblica conciliar.

Se a igreja ...

Ler mais →
Modelos e marcas

Marcas, modelos e singularidade ministerial

Nesse sentido, as “marcas” da igreja se diferenciam dos “modelos” de ministério. Marcas têm a ver com princípios imutáveis enquanto modelos relacionam-se com estilos ou respostas fluidas a contextos específicos. As marcas estão ligadas à Igreja Universal ou Católica, enquanto os modelos vinculam-se às igrejas como denominações ou comunidades locais. Destarte, as marcas apontam para padrões bíblicos absolutos enquanto os modelos, para esquemas de gestão condicionados pelo ambiente. Assim sendo, marcas são únicas e universais, devem estar presentes em todas ...

Ler mais →
Liderança desconfortável

Liderança desconfortável

[dropcap]C[/dropcap]omo Deus encaminha mudanças bíblicas necessárias na história? Ele usa uma liderança desconfortável para demolir obstáculos e o sofisma dos clichês paralisantes.

Líderes que conduzem mudanças bíblicas e necessárias enfrentam oposição e, não raramente, sofrem um bocado. Nesses termos, eles são ordinariamente angustiados. Como Paulo, eles podem exclamar: “meus filhos, por quem, de novo, sofro as dores de parto, até ser Cristo formado em vós” (Gl 4.19). Eles amam ao Senhor e sua igreja, choram e doam suas vidas com a ...

Ler mais →
A Coreia [e mais do que a Samsung

A Coreia é mais do que a Samsung:
A parábola do semeador (conclusão)

[dropcap]N[/dropcap]esta segunda interação com os pastores brasileiros, o Dr. Yoo iniciou revisando os prontos principais da palestra anterior, qual sejam: Na parábola do semeador, Jesus fala sobre tipos diferentes de entendimento da Palavra. Os três primeiros tipos de entendimento não produzem bom fruto. Naqueles que produzem bom fruto, ocorre o ouvir e o compreender correta ou propriamente. Em Marcos, a compreensão produz recepção — não qualquer recepção, mas o acolhimento da Palavra como algo “legal” ou “ilegal”. Isso significa que ... Ler mais →
A Coreia [e mais do que a Samsung

A Coreia é mais do que a Samsung:
A parábola do semeador

Uma parábola, explicou-nos o Pr. Yoo, não é uma ilustração. Uma ilustração esclarece uma verdade, ao passo que uma parábola esclarece uma verdade para os discípulos, ao mesmo tempo que a torna obscura para os que não são discípulos. Esta descrição surpreendente deflui de Mateus 13.10-17.

Jesus não iniciou seu ministério com parábolas; ele começou a utilizá-las no contexto de seu ministério na Galileia. Não há parábolas antes de Mateus 13 (acerca dos ditos do Sermão do Monte, o Pr. Yoo ...

Ler mais →

Liderança, fé, saúde e crescimento [atualizado]

Participei há alguns anos de uma reunião em que foram levantados problemas de igrejas e federações presbiteriais. Ações importantes não tinham sido realizadas por algumas sociedades internas, secretarias de causas e diretorias federativas. A maior parte da manhã foi ocupada com a tentativa de descobrir os culpados pelo ocorrido. Além disso, foram propostas soluções para cada dificuldade.

A intenção dos participantes era aperfeiçoamento o desempenho eclesiástico. O modo de tratamento do assunto, porém, revelou a existência de três paradigmas preocupantes. ...

Ler mais →